Cosméticos

Cosméticos

Artigos e Notícias

  • 28.02.2013

    Os 7 pecados capitais do SLA

    Indefinições de aspectos como níveis de serviços, prazo, aspectos trabalhistas e penalidades estão entre os principais problemas.

Segundo divulgação pelo Euromonitor, o Brasil é o terceiro maior mercado de produtos cosméticos do mundo, com a participação de 8,6% do mercado mundial de Higiene Pessoal, Perfumaria e cosméticos (HPPC), atrás dos Estados Unidos e Japão, e faturou em 2009 um total de US$ 28,4 bilhões e nos últimos 6 anos, o setor de cosméticos cresceu a uma média de 13,5% ao ano.

De acordo com a Abihpec (Associação Brasileira das Indústrias de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), esses números representam 10% da economia do setor do país e há quem acredite que há mais de uma década o setor cresce num ritmo muito mais rápido que o do PIB brasileiro. Desde 2007, a indústria de cosméticos cresceu 40% e ao todo, o setor emprega 3,6 milhões de pessoas no país.

Como em qualquer outro, o segmento de cosméticos também tem suas peculiaridades e carece de um suporte jurídico que esteja alinhado com as normas vigentes, bem com o comportamento do setor a fim de oferecer respaldo adequado às necessidades enfrentadas pelo setor.